Os pecados do Cartão de Crédito

Fuja dos sete pecados do cartão de crédito

Consumidores são iludidos pelas vantagens do dinheiro de plástico, acabam se endividando e com o nome sujo nos cadastros negativos

O dinheiro de plástico tem seus encantos, mas está cercado de perigos por todos os lados. Em especial para o consumidor que enche a carteira de cartões e perde o controle das despesas. Só paga o valor mínimo da fatura. Considera o limite como renda e faz compras em nome de terceiros. São alguns dos sete pecados dos usuários de cartões de crédito que acabam transformando essa modalidade de financiamento num abismo financeiro.

As pessoas são empurradas para o endividamento do crédito rotativo. Arcam com juros extorsivos e por incapacidade de pagar a dívida ficam inadimplentes. O resultado é o nome sujo nos órgãos de negativação de crédito. É o preço de se entregar aos prazeres do consumo e arcar com os pecados.

Os números confirmam o “boom” do dinheiro de plástico no Brasil.

CUIDADO: Os sete pecados do cartão de crédito:

Limite
Outro pecado fatal é confundir o cartão de crédito com renda. Explicando melhor: o consumidor usa o limite disponível para consumir além do que cabe no orçamento. As facilidades do cartão muitas vezes estimulam os gastos desnecessários. “…Planeje suas compras. Fuja da tentação de comprar sem necessidade. Prorrogar as dívidas do cartão é uma opção perigosa. Lembre-se que quanto mais cartão dentro da bolsa, maior a chance de ficar inadimplente”, lembra o Dr.Altamir Nery, Diretor Jurídico da NERY CONSULTORIA.

Só efetuar o pagamento mínimo
Se você é daqueles que não consegue quitar o saldo do seu cartão e segue pagando apenas o valor mínimo exigido na fatura, saiba que é muito difícil quitar a sua dívida, evite isto o máximo que puder.

Considerar o limite do cartão como renda
Lembre-se que crédito não é renda. Muitas pessoas usam o limite do cartão para arcar com despesas correntes, como supermercado e farmácia, sem ter noção de que aos poucos estão perdendo o controle financeiro

Gastar sem planos de pagar a dívida
Muitos consumidores gastam sem qualquer tipo de planejamento sobre como irão pagar a dívida do cartão. Evite o efeito `bola de neve` e programe quitar a sua dívida integralmente nos próximos 90 dias

Pagar a fatura com atraso
Se você vai pagar o valor mínimo, evite atrasos. Nesses casos os encargos são ainda maiores porque você precisa arcar com multa de mora de 2%, o que aumenta a sua dívida

Ignorar o quanto deve
Quando sua próxima fatura chegar evite olhar apenas para o valor mínimo. Procure se informar sobre o total de suas dívidas e estabeleça uma meta de quitação

Deixar o cartão na bolsa
Se você não consegue se planejar para quitar a dívida e não resiste à tentação de gastar, não pense duas vezes e quebre o cartão.